Nota contra a criminalização do Bloco de Luta pelo Transporte Público

Somos um movimento que não nasceu do nada e tampouco são novidade as lutas nos anos anteriores pela redução da tarifa. Neste mês de maio estamos por completar 5 meses de organização e grandes marchas na cidade de Porto Alegre. O Bloco de Lutas surge com mais força e unidade em torno da pauta do transporte público neste ano e logramos com a força das ruas uma importante conquista de fazer cair 20 centavos injustamente cobrados na passagem da população de Porto Alegre.

O Bloco de Lutas é composto por uma diversidade de organizações, indivíduos, estudantes, trabalhadores, desempregados e setores sindicais não pelegos que conformam juntos nas ruas o coro contra o lucro criminoso das empresas privadas do transporte na capital.

Temos nos organizados por assembleias públicas que são momentos de avaliação e construção dos próximos passos do movimento. Nestes espaços promovemos o debate de unidade pela pauta de outro modelo de transporte na nossa cidade.

Recebemos nas últimas semanas uma grande adesão popular nas marchas do Bloco de Lutas culminando na marcha histórica do 1°de abril que coloca nas ruas mais de 10 mil pessoas. Percebemos que a população aplaude nossa luta, ganhamos um importante reconhecimento social dos setores organizados e dos não organizados também. No entanto, a grande mídia aponta sua mira para cima das manifestações dando foco apenas a fatos isolados e começa uma grande campanha de “caça as bruxas”, onde manipula sua cobertura e provoca a população a ficar contra os manifestantes, fazendo com que todo o movimento legítimo seja colocado como vândalos e agressores.

Declaramos a não verdade nesta acusação.

Em conjunto com toda a reação da mídia burguesa vem a reação da patronal, a que comanda a farra escancarada dos lucros das empresas privadas do transporte. Os patrões saem a público prometendo revanche e ameaçando a população a recorrer ao valor de R$3,05.

Não bastasse a junção do ataque da mídia e a patronal segue as declarações de maior repressão por parte da Brigada Militar, esta que é atualmente dirigida politicamente pelo governo PT de Tarso Genro. A Brigada Militar declara que: o movimento vai ser acompanhado de “perto”. O que vimos foi um ‘corredor polonês’ de brigadianos montados a cavalos com seus sabres, que cercaram a última marcha, do inicio ao fim.

Também declara a BM que: os “instrumentos de luta” serão retirados, como por exemplo, os mastros das bandeiras e os lenços que os manifestantes carregam. E o que de fato aconteceu é que a BM montada a cavalo tentou tirar as bandeiras dos manifestantes dezenas de vezes! Atirou seus cavalos em cima da marcha, atropelaram manifestantes, mesmo sabendo que estávamos com crianças pequenas junto a nós. Instalando assim um clima de tensão e medo nos participantes da marcha.

Podemos então perceber que a melhor forma de desmontar um movimento social que começa a ganhar apoio e visibilidade é criminalizando o mesmo. Temos mais de uma dezena de pessoas intimadas a depor e a grande ameaça do indiciamento de alguns integrantes. E o mais curioso nestes processos movidos contra nós é que as acusações não passam de acusações que estão marcadas em um campo político-ideológico. Estamos sendo perseguidos por lutar e nos organizar? Eis nossa indagação!

Não aceitamos o tratamento repressivo ao nosso movimento e exigimos a retirada imediata dos inquéritos que estão sendo movidos contra nós. Condenamos como violentos o aparato repressor da Brigada Militar, a grande mídia, a patronal e os governos em vigor. A BM por sua repressão direta contra nossos lutadores, a grande mídia pela incitação ao ódio contra nossas marchas e mobilizações, a patronal por abusar da população com seus fartos lucros e pela não abertura e transparência de suas contas, e, finalmente aos governos que ao contrário de tentar ater-se as demandas legitimas do movimento criminaliza o Bloco de Lutas amedrontando e colocando policia atrás de seus manifestantes.

Sabemos que o que está em vigor na nossa cidade um ensaio para como será tratada as lutas no período da Copa do Mundo de 2014. Todo movimento social está em risco de ser reprimido nas cidades sedes da Copa. Hoje começam a tentar nos calar e amanhã poderão tentar tirar nossa capacidade de lutar contra as desigualdades e pela justiça social.

Convocamos a todos os movimentos populares, sindicatos de luta, organizações sociais e políticas a lutar contra a criminalização ao Bloco de Lutas. Convocamos a população de Porto Alegre e do país a ser solidaria as manifestações que visam combater os lucros privados das empresas que tratam nosso direito de ir e vir como mercadoria.

Solidariedade de classe nas ruas, nas lutas!

Solidariedade é mais que palavra escrita, é ação!

Assinado: Bloco de Luta pelo Transporte Público de Porto Alegre

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta