[Amanhã] Ato Copa Sem Povo, Tô na Rua de Novo!

 

QUANDO:

Quinta-Feira (22.05)

HORÁRIO:

17:00

LOCAL:

Largo da Batata

EVENTO:

Texto do evento:

Terceira Mobilização da Campanha pelo HEXA DE DIREITOS:

1) MORADIA: CONTRA A ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA
Leis para controle do valor dos aluguéis
Comissão Nacional de Prevenção de Despejos Forçados
Mudanças no Minha Casa Minha Vida

2) SAÚDE: MAIS VERBAS PARA A SAÚDE PÚBLICA!
Fim dos subsídios aos planos de saúde
Fim das privatizações
10% do PIB para a Saúde Pública

3) TRANSPORTE: PÚBLICO, GRATUITO E DE QUALIDADE!
Redução imediata das tarifas
Criação de fundo federal de redução anual da tarifa
Tarifa zero com controle público

4) EDUCAÇÃO: PELO ACESSO E QUALIDADE DA EDUCAÇÃO PÚBLICA!
Ampliação e construção imediata de creches
Política de cotas e assistência estudantil permanente
10% do PIB para a educação pública

5) JUSTIÇA: CHEGA DE ATAQUES DO ESTADO CONTRA OS MAIS
POBRES !
Comissão Nacional da Violência do Estado Contra a Periferia
Desmilitarização da Polícia Militar
Fim dos tribunais especiais e leis anti-manifestação

6) SOBERANIA: DURANTE A COPA!
Garantia do Trabalho informal
Prevenção efetiva à exploração sexual
Pensão vitalícia às famílias dos operários mortos e
incapacitados durante as obras das copas

Projeto libera máscara em protesto, mas uso em crime terá pena maior

 

Black Bloc participaram do protesto no Rio de Janeiro (Foto: Yasuyoshi Chiba/AFP)

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado marcou para esta quarta-feira (23) a votação de um projeto de lei que aumenta a pena para crimes cometidos durante manifestações populares. O objetivo é conter atos de vandalismo e violência. Um dos artigos prevê a liberação do uso de máscaras, que se tornaram comuns no ano passado – mas, se algum manifestante cometer algum crime utilizando o acessório, será punido com pena maior.

Independentemente do uso de máscaras, a atual versão da proposta, relatada pelo senador Pedro Taques (PDT-MT), aumenta as penas para homicídio, lesão corporal e dano ao patrimônio público quando cometidos durante “manifestações públicas, concentrações populares ou qualquer encontro multitudinário [de multidões]”.

 

Repressão no 5º Ato Contra a Copa

Retirado de De Olho na Rua

ELA E ELES
Ela, que nasceu sabe-se lá onde a mando de não se sabe quem. Que viu a mãe apanhar. Que viu os assédios da irmã e – tímida – não sabia o que fazer.

Ela, que ouviu da sociedade que tem culpa do estupro que sofreu. Que perdeu a última ponta de esperança na revolução pacífica quando viu o irmão ser arrastado do morro pro camburão e, de lá, nunca mais teve notícias.

Ela que fez do corpo um templo e do feminismo um trilho. Ela, que hoje cria um filho e não sabe como pagará as fraldas do mês que vem.

Ela não necessariamente é a garota na foto. Ela é uma história mal contada pela opressão diária. E começa em casa. A asa que ela busca ofusca a repressão, a opressão, o patriarcado. A prisão não é só detenção. Não é só essa. ELA  É DO TIPO QUE NÃO PÁRA ENQUANTO NÃO TERMINA O QUE COMEÇA.

Texto: Fábio Chap
Foto: Mídia NINJA

Detenção de manifestantes no Metrô Butantã ontem, durante o 5º Ato “Se não tiver direitos não vai ter Copa”

 

[HOJE] 4° Ato Contra a Copa

images (1)NÃO VAI TER COPA

Quando: Quinta feira (27/03)

Onde: CONCENTRAÇÃO PÇA DO CICLISTA

Hora: 18H

 

3ºATO CONTRA A COPA

OPS…
A greve vitoriosa que os garis obtiveram esta semana nos lembraram do porquê de estarmos nas ruas… Todo mundo para rua para aumentar o som, para causar algum tipo de repercussão.

Chega de despejos, chega de repressão, chega de lei antiterrorista, chega de polícia!
3º Ato contra a Copa ‘Se não tiver transporte não vai ter Copa!’
“O Brasil receberá a Copa do mundo de 2014, porém, a população que não foi consultada é quem vai pagar o preço. Tudo não passa de um grande espetáculo com o dinheiro do contribuinte. É mais que comprovado que a Copa não agrega valores para os países das quais foram sede. Hoje no Brasil vivemos em uma situação caótica do SUS, de pessoas despejadas para construção de estádio, falta de investimento na educação, infraestrutura e outros sistemas. A previsão é que os investimentos para o Mundial alcancem R$ 33 bilhões –o país vai custear 85,5% das obras relacionadas ao evento, com dinheiro dos governos federal, estaduais e municipais. (http://www1.folha.uol.com.br/esporte/folhanacopa/2013/06/1297264-gastos-publicos-com-a-copa-2014-sobem-e-chegam-a-r-28-bilhoes.shtml)”

QUINTA-FEIRA, 13 DE MARÇO, ÀS 17H NO LARGO DA BATATA.