Assembleia Geral dos Estudantes

Todas a Assembleia Geral dos Estudantes às 18h no vão livre da Hist/Geo para decidirmos quais serão os eixos prioritários de nossa luta.

DSCF6093

 

Definir eixos prioritários para a greve estudantil: por uma universidade à serviço do povo!

Apesar do adiamento desta assembleia, em nossa última deliberação conseguimos traçar os primeiros passos organizativos da nossa greve ao instituirmos o Comando de Greve como instrumento fundamental para organizar a luta. Mas ainda falta o essencial: definir por quais eixos iremos lutar!

Funcionárias/os e docentes se organizaram e aprovaram uma série de reivindicações. Respeitamos e apoiamos a autonomia destes setores para organizar sua luta, mas precisamos também defender a nossa autonomia enquanto setor estudantil. Enquanto estudantes, o que nos ataca mais diretamente? Qual é o projeto de universidade que nós queremos construir? Por quais pautas seguiremos em greve até que tenhamos conquistas reais?

A assembleia passada deixou muito claro quais os eixos que estudantes defendem: Exigimos COTAS JÁ! Não vamos mais permitir que esta seja uma bandeira tímida do Movimento Estudantil. Se estamos de fato em defesa de uma universidade pública a serviço daquelas pessoas que a sustentam precisamos radicalizar a mobilização e não arredar o pé até que conquistemos nossas pautas! A implementação de cotas não envolve nenhum centavo do orçamento da USP, não tem desculpa e nem mimimi de reitor!

Garantir a entrada de estudantes pobres e negros está ligada diretamente com a necessidade de defendermos aqueles que conseguiram furar a barreira do vestibular e dependem das políticas de permanência estudantil para conseguir se formar. Chega de ter só estudante rica/o conseguindo se sustentar na universidade! Exigimos bolsas reais de apoio à permanência estudantil!

Frente ao descaso da reitoria para com o campus da USP localizado na Zona Leste precisamos deixar claro que um campus universitário na ZL foi reivindicação dos Movimentos Sociais e é lá que a EACH irá permanecer – e descontaminada! Não será nenhum setor estudantil ou trabalhador que irá arcar com as irresponsabilidades do governo do Estado e a da reitoria.

E se queremos poder seguir em luta, sem a criminalização de nossos movimentos, devemos garantir a defesa às/aos nossas/os companheiras/os de militância e exigir o fim de todos os processos contra estudantes da USP, UNESP e UNICAMP!

Cotas já, permanência estudantil , fim dos processos e defesa da EACH como eixos prioritários para greve estudantil!
Se o projeto dos de acima é precarizar para privatizar, o nosso é criar o poder popular
Legitimidade ao Comando de Greve!
AVANCEMOS!

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta